X
Esse é um post sobre Lore, caso você ainda não tenha jogado a Campanha de Diablo 3, recomendo que não leia esse post! Ele contém spoilers!

Olá Nefalém,

hoje vamos falar um pouco sobre a Lore que temos dentro do jogo Diablo 3 até agora. Caso você queira saber um pouco mais sobre os eventos da história que são anteriores a esse jogo, recomendo dar uma olhada no post que temos contando a história de maneira bem resumida. E mesmo que você já conheça todos os fatos que acontecem antes da história de Diablo 3, também recomendo que leia o nosso post pra entrar no  clima, sabe… Para facilitar o entendimento , vamos falar do que acontece em cada capítulo separadamente.

Ato I

Esse capítulo fala sobre a queda de uma estrela cadete sobre a catedral de Velha Tristram que levou Deckard Cain para as profundezas da catedral. Com a queda da estrela os mortos despertaram novamente, inclusive o Rei Esqueleto que um dia foi o amado Rei Leoric antes de enlouquecer. Deckard é resgatado e dá detalhes de como derrotar o Rei Esqueleto e chegar até a estrela. Ao derrotarem Leoric e chegarem até o local da queda da estrela, descobrem que de fato a estrela é um homem que está sem memória e perdeu sua espada na queda. Deckard acredita que recuperando a espada poderão recuperar a memória do estranho e entender o motivo de os mortos terem se erguido novamente.

Léa vai até a casa de sua mãe Ádria, sumida a muitos anos, e descobre que ela era uma bruxa. Durante a busca pelos pedaços da espada, os heróis descobrem que a feiticeira Magdha e o Culto estão em busca da espada para entregar à Belial, o Senhor da Mentira. Magdha consegue roubar os fragmentos da espada e tenta forçar Deckard a recuperá-la. Deckard se nega e é ferido mortalmente, Léa tem um surto de poder que mata muitos integrantes do Culto enquanto Magdha foge com o estranho como refém. Deckard restaura a espada e em seguida morre. Os heróis vão ao resgate do estranho e para isso enfrentam o Açogueiro. Ao entregar ao espada ao Estranho, este recobra a memória e lembra que é o Arcanjo Tyrael que desceu do Paraíso Celestial para ajudar a humanidade a lutar contra o Inferno Ardente. Para conter os planos de Belial, os heróis partem para Caldeum.

Ato II

Em Caldeum os heróis procuram por pistas de Maghda e do Culto para descobrir mais sobre os planos de Belial, enquanto Léa procura por pistas do paradeiro de sua mãe. Os heróis seguem os rastros do Culto até chegar a Magdha e derrotá-la. Léa descobre que sua mãe pode estar viva e vão à sua procura, os heróis resgatam Ádria das mãos dos servos de Belial. Ádria revela que conhece uma forma de aprisionar os Senhores do Inferno Ardente e diz que para isso precisarão da ajuda do espírito de Zoltun Kell, antigo mago horadrim que ficou obcecado pelo poder. Ádria afirma que passou todos esses anos estudando formas de derrotar os senhores do inferno e se prontifica a ensinar Léa a usar o seu poder.

Kell ensina como restaurar o seu corpo para que ele possa entregar a eles a Pedra Negra das Almas, um dispositivo capaz de aprisionar os senhores infernais. Após ajudarem Kell, ele os trai tentando ficar com a Pedra para si, mas é derrotado. De posse da pedra, os heróis decidem ir ao palácio do rei para ajudá-lo e derrotar Belial. Ao chegarem à presença do rei, na verdade descobrem que Belial já havia tomado o seu lugar. Os heróis então enfrentam Belial e o derrotam, aprisionando sua alma na Pedra Negra. Em sonho Léa vê Azmodam invadindo Santuário a partir da cratera do Monte Arreat e sua investida sobre o Forte da Vigília, situado nos seus arredores.

Ato III

Os heróis chegam e encontram o Forte da Vigília com dificuldades em conter as ofensivas das hostes de Azmodam. Na visão de Léa Azmodam já demostrava ter conhecimento da existência da Pedra Negra das Almas e sua intenção de usá-la para subjugar a humanidade. Para ajudar a manter a estrutura de pé os heróis colaboram em várias atividades de fortalecimento da estrutura de defesa do Forte e de combate ao exército de Azmodam. Ádria orienta os heróis a seguir para as profundezas da montanha e destruir os Corações do Pecado (artefatos demoníacos poderosos que aumentavam o poder dos exércitos do mal).

Os heróis partem com destino às profundezas da montanha e destroem os artefatos indicados por Ádria, enquanto isso, Léa e sua mãe tentam estabilizar a Pedra Negra das Almas. Os heróis finalmente chegam até Azmodam, o enfrentam e o destroem, aprisionando sua alma junto com a de todos os outros senhores do inferno ardente, pois os demais espíritos do mal também se encontravam contidos nesse artefato. Ao retornar para o Forte da Vigíla, Ádria trai a todos aprisionando Tyrael e usando a Pedra Negra das Almas para libertar Diablo. Para isso ela usa Léa como hospedeira da alma de Diablo que, ao se libertar da Pedra, segue rumo ao Paraíso Celestial.

Ato IV

O Arcanjo Imperius luta com Diablo para impedir sua entrada pelos portões diamantinos, mas Diablo está muito mais poderoso após absorver os poderes dos outros males que estavam na Pedra Negra. Impérius é derrotado e o Mal Supremo invade o Paraíso Celestial. Tyrael e os heróis seguem no encalço de Diablo, para deter a destruição do Paraíso Celestial. Impérius culpa Tyrael e os nefalém pela chegada de Diablo ao Paraíso. Tyrael e os heróis correm ao resgate de Iterael, Arcanjo do Destino e Auriel, Arcanjo da Esperança enquanto lutam contra os demônios que surgem por toda a parte.

Para chegar até Diablo, os heróis precisam enfrentar seu tenente Izual, anjo caído que serve à Diablo desde a época em que este tomo o corpo do Errante Sombrio. Após derrotar Izual eles seguem em direção ao Arco Cristalino, onde pretendem enfrentar o Mal Supremo. Ao chegarem na entrada do Arco, Impérius aparece e admite que somente os nefalém são capazes de conter o Mal Supremo. Os heróis enfrentam Diablo no Arco Cristalino e no Reino das Sombras e o derrotam, aprisionando novamente os espíritos na Pedra Negra das Almas.

Tyrael decide, por segurança, esconder a Pedra de Anjos e Demônios para a segurança da humanidade, mas é surpreendido por Malthael, antigo Arcanjo da Sabedoria, há muito sumido do Paraíso Celestial atormentado pelos mistérios da criação e agora conhecido como Anjo da Morte, que se apossa da Pedra.

Ato V

Malthael acredita que a única forma de terminar com o Conflito Eterno entre anjos e demônios é destruir todos os demônios e todos os que partilham da sua linhagem, a humanidade. Para isso ele usará as almas das pessoas para aumentar o seu poder, através dos seu exército de Ceifadores, até conseguir reforjar a Pedra Negra para que ela fosse capaz de consumir toda a essência demoníaca em Santuário. Em Hespéria, os nefalém tentam livrar a cidade da influência e da devastação de Malthael enquanto buscam por ele. Os heróis descobrem o paradeiro de Ádria e seguem em busca de vingança por Léa.

Os heróis descobrem que o Anjo da Morte se refugiou na Fortaleza Pandemônio onde pretende executar o seu plano de reforjar a Pedra Negra das Almas e partem para detê-lo. Os heróis enfrentam Malthael que, para não ser derrotado, estilhaçou a Pedra para consumir os poderes do Mal Supremo. Mesmo assim Malthael foi subjugado e desaparece em uma explosão que libertou todas as almas que haviam sido consumidas, inclusive as dos males supremos. Com o aparente retorno da paz, o único questionamento de Tyrael é que se, até o maior dos arcanjos poderia ser corrompido, seriam os nefalém capazes de resistir a tal tentanção.


E agora ficamos nós a nos perguntar o que o Diablo vai aprontar para gente ter que matar ele novamente…

A gente se esbarra em Santuário, Nefalém!